quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Carrie - Stephen King 1974

Imagine se você fosse reprimido em todos os lugares que habita... Carrie era uma menina especial,mas também era uma menina muito reprimida pela mãe que a criou a base de várias surras com uma varinha, a mãe de Carrie era extremamente desequilibrada e cristã doentia, tudo o que Carrie sabia era que qualquer erro te levaria para o inferno, um dos episódios que mostram a inocência é quando ela está tomando banho na escola, após uma aula, e tem sua primeira menstruação, no mesmo momento a menina entra em pânico acreditando que iria morrer,que estava tendo uma hemorragia. Carrie é alvo da maldade de suas colegas que jogam vários tampões na garota, logo a professora de Ginastica aparece e repreende Carrie, até notar que a menina realmente não sabia do que se tratava, ela é levada para a direção onde eles explicam a ela o que está acontecendo, e Carrie pede para que eles não liguem para sua mãe. 
Quando ela chega em casa e conta, bom vemos mais episódios de que mãe de Carrie é completamente doente, pois ela bate na menina e faz com que ela vá rezar e diz que ela está pecando. Bom depois de tanto bullying que a menina sofre até dá para entender o motivo dela ter usado seus poderes telecinéticos, matando vários colegas de escola e destruído metade da cidade. Afinal quem nunca se identificou nem um pouquinho que seja com Carrie? E sejamos sinceros, todos também já sentiram vontade de destruir tudo que viam pela frente.
Mais uma vez King usa o sobrenatural para falar de problemas como exclusão social e repressão, Carrie é um mergulho na psique humana, é um livro incrível.



Novamente o livro ganhou uma adaptação, 3 no caso, a primeira em 1976, foi roteirizado pelo próprio King e pelo Lawrence D. Cohen , dirigido por Brian de Palma, na época o filme recebeu muitas críticas pelo excesso de violência e mostrou muito além do que devastação e sangue.
O filme foi protagonizado por Sissy Spacek, ela foi indicada naquele ano, ao oscar de melhor atriz.
 Carrie, a estranha, foi o primeiro livro de King que ganhou adaptação nos cinemas.





A segunda adaptação veio 26 anos depois, em 2002, Carrie foi interpretada por Angela Bettis , edição feita especialmente para televisão, foi dirigida por David Carson, porém desta vez a nova adaptação foi depreciada pelos velhos fãs do original, mas foi considerada bem recebida pela nova geração. O que de fato já era esperado, por que quando se regrava um clássico todo cuidado é pouco.



E a última adaptação protagonizada pela musa da minha vida Chloë Grace Moretz, foi dirigido pela diretora de meninos não choram,  Kimberly Peirce, já essa versão foi considerada pela crítica muito mais erótica, com muitos fetiches e pouco desabrochar de Carrie, porém também trabalha bastante a ideia original.

Bom apesar das críticas as adaptações também fizeram sucesso, pois a história de King é realmente incrível.
Essa foi mais uma resenha da overdose king, espero que tenham gostado. <3

2 comentários:

  1. Está na minha lista de leitura. Enquanto aos filmes, vou assistir o primeiro, já que as outras versões mais recentes já assisti.
    Muito bom o blog, parabéns.

    ResponderExcluir