domingo, 20 de março de 2016

A GAROTA DINAMARQUESA- DAVID EDERSHOFF


Eu realmente amei de mais esse livro, e antes que comece a ler a resenha, imagine: Se você fosse uma pessoa que já tivesse sua vida resolvida, 'pronta', mas certo dia um ato, muda tudo e faz você ver que não era assim que você queria, deveria e seria feliz, algo que faz você mudar sua forma de viver.
Einar, um pintor reconhecido, casado com Gerda também pintora, certo dia, veste um vestido, afins de ajudar a esposa, para que ela acabe um quadro.
  A seda, o vestido, a sensação dele tocando a pele, faz com que algo,seja despertado em Einar, algo que estava adormecido a muuito tempo, dentro dele. Logo depois desse fato, Einar, começa a permitir que seu lado feminino desabroche;é então que surge Lili, dali em diante Einar, passa a ser duas pessoas totalmente diferentes: Lili, a mulher doce e bela, e Einar, marido e pintor.

O livro todo conta muito sobre aceitação e fala bastante da reação das pessoas que conviviam e conheciam Einar, principalmente de Gerda, sua esposa, fala de perda, amor... Em função do amor intenso que existe entre Gerda e Einar, e ela apoiar ele, e aceitar e ajudar a ele mesmo a se aceitar, conta também a parte de perda, por que querendo ou não ela perde Einar, por se tornar Lili.

 Como já havia dito, no livro, Einar e Lili, eram totalmente diferentes, o livro, foi bem criticado, por parecer que David trata a transexualidade como segunda opção, por motivos de , quando Lili está no 'controle', não lembrar de nada da vida de Einar. Outro ponto que desagradou a muitos é de ele também tratar como se a transexualidade fosse algo que te consumisse, te fazendo deixar tudo de lado, esquecendo tudo de importante que vivera até ali incluindo suas lembranças. Pelo fato de que aos poucos, Lili, toma o controle, tomando conta completamente do corpo de Einar, fazendo com que ele não se manifeste mais, sendo adormecido, como Lili, fora outrora.

  Mesmo com esses pontos negativos, o livro é lindo, fascinante, um dos pontos que mais me fez ter interesse, foi esse da transexualidade, de ser uma história real e inclusive por se passar nos anos 20, porque hoje em dia, a transexualidade é algo polêmico, que chama atenção e bem falado atualmente, para ser aceito, mas nos anos 20, nossa devia ser um escândalo, disso tenho certeza, imagine o preconceito e a opressão que girou em volta apenas de Einar se vestir como Lili, e depois com a cirurgia em 1929, por este e outros fatos, gostei de mais do livro e se tornou um dos meus favoritos.
 Afinal, mostra muito sobre o que Einar, teve de abrir mão, para ser feliz sendo quem queria ser, tudo que ele teve de deixar de lado, para se tornar Lili, toda a coragem que teve de ter, e Gerda, sempre ajudando-o a ser quem ele era, fazer o que ele queria e o que o faria feliz e estar bem com ele mesmo. Pois o livro te mostra que ele realmente era uma mulher, Einar, tinha desejos e pensamentos de uma mulher, se sentia mal preso no corpo de um homem e isso de fato é horrível.

 Eu li na versão e-book, na verdade foi meu primeiro e-book, que li até o fim, mas vou adquirir o livro físico provavelmente, por ter gostado de mais. E acredito que vários vão gostar muito de ler, apesar de muitas partes, roupas e lugares serem com detalhes excessivos, David, sabe fazer a alternação entre o massante, enjoativo e o interessante, e é por isso que apesar de ele ser um pouco cansativo, é bom e muuito interessante de se ler, e não esqueçam que é uma história real, apesar de David, ter alterado muitos nomes e datas, para que pudessem aparecer no livro, apesar desse fato triste, o livro realmente é magnifico. 

Bom meus amores, espero que tenham gostado.
Beijos de luz.

2 comentários:

  1. Estava com muuuita vontade de ler esse, vou dar uma olhada por aí!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é ótimo, mas já vi vários boatos de que a garota dinamarquesa é a gerda, não a lili, mas enfim é ótimo

      Excluir

Deixe sua opinião...